05.10.2017 - 09:38:52
Câncer tem cura. Entre de peito nessa luta

Iniciamos o mês de outubro e, com ele, reforçamos o chamado a todas as mulheres a cuidarem da sua saúde e a lutarem contra o câncer de mama. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos de câncer de mama por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total.

Com o objetivo de chamar a atenção para o aumento dos casos e conscientizar as mulheres sobre a importância de fazer o autoexame e a mamografia rotineiramente, surgiu em 1990, nos Estados Unidos, o movimento internacionalmente conhecido como Outubro Rosa, cujo nome nos remete ao laço rosa que simboliza em todo o mundo esta campanha. O laço foi distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York. Posteriormente, adotou-se a estratégia de iluminar na cor rosa monumentos, pontes, prédios públicos, entre outros, em vários países.

No Brasil, a primeira iniciativa aconteceu em 2002, com a iluminação do Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, na comemoração dos 70 anos de encerramento da revolução. Ao passar dos anos, boa parte das capitais e grandes cidades brasileiras já se prepara para ficar iluminada de rosa no mês de outubro. “O Outubro Rosa é um movimento que alcançou o mundo de forma bonita, que consegue ser compreendida e fazer toda a população refletir sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama”, avalia a secretária geral da Contag, Thaisa Daiane Silva.

A cada ano a campanha vai se popularizando e dá bons resultados. Mesmo que é preciso que as mulheres busquem um diagnóstico precoce durante os 12 meses do ano, em outubro aumenta consideravelmente a procura pelos exames, principalmente a mamografia. O Ministério da Saúde registra um crescimento de 35% na realização de exames, que passou de 3 milhões, em 2010, para 4,1 milhões em 2016. Até julho deste ano, foram realizados um total de 2,1 milhões de testes.

Além da mamografia, também é fundamental fazer autoexame, até mesmo em mulheres bem jovens. Segundo pesquisa do Inca, de 2016, 66,2% das descobertas de câncer de mama ocorrem pelas próprias pacientes. E vários médicos alertam que vem aumentando a incidência da doença em mulheres com menos de 40 anos, principalmente naquelas com histórico familiar.

Ainda sobre a prevenção, é importante ficar atenta às mudanças no corpo, pois, na maioria dos vezes, o câncer é uma doença silenciosa. Procure urgente o seu médico ou médica caso descubra um nódulo na mama, secreção com sangue pelo mamilo e alterações na forma ou na textura do mamilo ou da mama. Quanto antes diagnostica, mais eficiente será o tratamento e chance de cura aumenta bastante.

“A Contag vai intensificar a campanha do Outubro Rosa junto às Federações e Sindicatos. Como as mulheres trabalhadoras rurais estão longe dos centros urbanos, hospitais e clínicas, têm mais dificuldade em fazer mamografia frequentemente. Nesse sentido, precisamos intensificar a conscientização para que todas façam o autoexame e que não deixem de fazer os exames e de consultar, pelo menos, uma vez ao ano. Câncer tem cura. Entre de peito nessa luta”, reforçou Thaisa.

Fonte: Assessoria de Comunicação da CONTAG - Verônica Tozzi


Voltar | Início | Imprimir

Relacionadas:
Mulheres do Campo e da Cidade ocupam o MPPB na luta contra a violência de gênero
Presidente da Fetag atribui retirada dos Rurais da Reforma à forte pressão da categoria
Fetag-PB discute ações e perspectivas para a terceira idade em Seminário Nacional
Troca de conhecimentos e aperfeiçoamento são destaques na avaliação de educandos (as)
Oficina discute produção agroecológica das mulheres no Nordeste
 
 

 

2010 - 2017 - Direitos reservados.
Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba - FETAG-PB
Av. Rodrigues de Aquino, 722 - Jaguaribe - João Pessoa / PB - Tel.: 83 - 3241-1192