16.03.2018 - 12:17:11
Mulheres do campo e da cidade lutam por democracia e garantia de direitos, no 8 de março

Mais de 1 mil mulheres do campo e da cidade invadiram as ruas do centro da capital paraibana, no último dia 8 de março, para lutar por democracia e garantia de direitos. Também estavam na pauta, denúncias ao feminicídio, às desigualdades e discriminações de gênero, de sexualidade, de raça, classe e religião. 

Antes da caminhada, parte do grupo formado por mais de 200 trabalhadoras rurais, agricultoras familiares e assentadas da reforma agrária de várias regiões do Estado participou do evento “Margaridas na luta por democracia e garantia de direitos” promovido pela Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB). O evento marcou também o lançamento da 6ª Marcha das Margaridas que acontecerá em agosto de 2019, em Brasília, e homenageia a líder sindical paraibana Margarida Maria Alves.

“Este é um dia para refletirmos sobre os retrocessos vividos na atual conjuntura política, social e econômica brasileira, destacando os seus impactos sobre a vida das mulheres e reforçamos a necessidade de nossa unidade, colocando na agenda das autoridades a pauta das mulheres trabalhadoras rurais”, explica a secretária de mulheres da Fetag-PB, Maria de Lourdes Costa.

Maria de Lourdes destacou ainda que as conquistas alcançadas no plano macro, precisam se materializar no dia a dia das pessoas. “Para as mulehres do campo é tudo ainda mais difícil. É preciso que elas reconheçam  o Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais um instrumento imprescindível para esse feito, já que está mais próximo da população Rural”, finalizou a secretária.

Ás 10h30, as trabalhadoras rurais marcharam pela Rua Rodrigues de Aquino e se juntaram ao conjunto de movimentos de mulheres parceiras que realizaram um Ato Político contra o Feminicídio, na Praça dos Três Poderes. Depois o grupo seguiu em direção a sede da Gerência Executiva do INSS em João Pessoa para protestar contra a Reforma da Previdência. Encerrando o movimento por volta das 13h, no Parque Solón de Lucena (Lagoa).

São Sebastião de Lagoa de Roça - No mesmo dia, cerca de 8 mil mulheres participaram da 9ª edição da “Marcha pela vida das Mulheres e pela Agroecologia”, promovida pelo Pólo da Borborema, através de uma articulação de 14 sindicatos de trabalhadores rurais daquela região, em parceria com a AS-PTA- Agricultura Familiar e Agroecológica.

Em 2018, o tema trabalhado foi a onda conservadora que o país enfrenta e de que forma ela recai sobre a vida das mulheres e LGBTs. Uma apresentação teatral mostrou diversas situações de violência vivenciadas por uma personagem homossexual, que também sofre violência por parte de seu próprio pai, que não aceita a sua orientação sexual. A plateia interage e ri, se emociona e muitas vezes, se indigna com as cenas que evidenciam o tema mobilizador da marcha, escolhido a cada ano.

Ligória Felipe dos Santos se emocionou com a encenação: “A peça foi feita pra mim, eu me vi ali”, conta a agricultora do município de Esperança (PB), que viu o filho homossexual deixar a casa por desentendimentos com o pai. 

A animação do evento ficou por conta da cirandeira pernambucana Lia de Itamaracá que se apresentou momentos antes da caminhada e encerrou o evento com uma bonita ciranda. A caminhada partiu pelas ruas centrais da cidade após a encenação apresentada pelo Grupo de Teatro Amador do Polo da Borborema.

Ações Conectadas - De acordo com uma das representantes do movimento de mulheres, Joana D’Arc da Silva, o 8 de março segue bastante conectado, na Paraíba, no Brasil e no mundo. Em 2017, foram cerca de sessenta grandes marchas em diversos países, o que demonstra a organização em torno das pautas relativas às mulheres.

“No Brasil e no mundo, as mulheres estão nas ruas para dizer que não é feita a sociedade em condições de desigualdade entre homens e mulheres; nem do modo como os meios de comunicação têm tratado as mulheres, humilhando e incitando o ódio, a violência, assassinatos e estupros. São muitos os motivos este ano para ir para a rua e não estamos indo sozinhas, dispersas, estamos indo com essa leitura de que estamos juntas em todos os lugares. Não estamos dizendo só o que não queremos, estamos dizendo o que defendemos também”, comentou Joana D’Arc.


Voltar | Início | Imprimir

Relacionadas:
Nova diretoria da Fetag-PB tem posse prestigiada
Solenidade de posse de novos diretores da Fetag acontecerá nesta quarta (30)
Caravana paraibana participa de até sexta (25) do 5º Enafor
Câmara aprova parecer de Couto que inclui Margarida Alves no Livro dos Heróis da Pátria
Com 99% dos votos, chapa encabeçada por Liberalino é reeleita na Fetag-PB
 
 


Últimas Notícias

18.06.2018
Comunicação Sindical e Popular é pauta da Região Nordeste
08.06.2018
Comunicação Sindical e Popular é pauta da Região Nordeste
04.06.2018
Nova diretoria da Fetag-PB tem posse prestigiada
29.05.2018
Solenidade de posse de novos diretores da Fetag acontecerá nesta quarta (30)
22.05.2018
Caravana paraibana participa de até sexta (25) do 5º Enafor

 

2010 - 2018 - Direitos reservados.
Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba - FETAG-PB
Av. Rodrigues de Aquino, 722 - Jaguaribe - João Pessoa / PB - Tel.: 83 - 3241-1192