29.05.2012 - 11:24:31
Prazo para vacinar o rebanho contra a aftosa termina na próxima quinta-feira (31)

Primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a febre aftosa se encerra na próxima quinta-feira (31) e o sistema FAEPA/SENAR - PB conclama os produtores a vacinarem o seu rebanho.

Apenas com o gado vacinado é possível garantir a saúde dos animais e obter a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento necessário para venda e transporte de animais e para obtenção de financiamentos. A não vacinação dos animais dentro do prazo pode resultar em multa para o produtor. Ao vacinar o seu rebanho, o proprietário deve exigir a nota fiscal da vacina e em seguida comprovar que cumpriu com a sua responsabilidade de criador nos escritórios das Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (ULSAVs) e nas sedes da Emater espelhadas pelo estado.

De acordo com o presidente do Sistema FAEPA/SENAR-PB, Mário Borba, 2012 é um ano crítico para o estado, que tenta alcançar o status de zona livre de aftosa com vacinação e tem como uma das metas, vacinar 90% do seu rebanho. “Com vontade política e comprometimento de todos, principalmente do produtor, tenho certeza de transformaremos a Paraíba em Zona Livre de Febre Aftosa, o que irá colocar o estado em condições de comercializar seus rebanhos e produtos tanto em nível nacional quanto para exportação”.

A situação atual da Paraíba - Desde o dia 15 de maio, a Paraíba encontra-se impedida de transportar e comercializar animais e produtos derivados in natura para os outros estados do nordeste. A barreira sanitária foi instalada, com exceção do Rio Grande do Norte, para que os estados vizinhos (Pernambuco e Ceará) possam mudar a classificação de médio risco da febre aftosa para área livre com vacinação, o que impede que os rebanhos tenham qualquer tipo de contato.

Febre aftosa - Doença contagiosa, causada por um vírus de rápida multiplicação. Ataca os animais de casco dividido, como búfalos, porcos, cabras, ovelhas e principalmente, os bovinos. É transmitida por animais infectados, materiais e equipamentos contaminados e pessoas que tiveram contato com o vírus.

A aftosa, no entanto, não provoca doenças no homem, mas acaba mostrando que o rebanho não é bem cuidado, que falta higiene e sanidade. O gado emagrece, produz menos leite, fica proibido de ir para o abate, será sacrificado e ainda cria uma barreira para as exportações de carne e outros produtos brasileiros.

O animal com febre aftosa é rejeitado em diversos países na Europa e também nos Estados Unidos, pois é uma doença que afeta toda a economia daqueles que já erradicaram a enfermidade.

Os animais contaminados apresentam febre alta, aftas na língua, lábios e gengiva, úlceras e feridas nos cascos e no lombo, dificuldade em se movimentar, uma baba abundante e costumam se isolar do rebanho.

A única maneira de combater a doença é por meio da vacinação.


Voltar | Início | Imprimir

Relacionadas:
Governo do Estado realiza Jornadas de Inclusão Produtiva em Princesa Isabel e Guarabira
2ª etapa de vacinação contra febre aftosa na Paraíba vai até 30 de novembro
Abrem esta semana quatro novos postos distribuirão ração animal em municípios da Paraíba
Prazo para vacinar o rebanho contra a aftosa termina na próxima quinta-feira (31)
Vacinação contra aftosa começa e vai até fim de maio. Objetivo é alcançar status de livre da doença
 
 

 

2010 - 2019 - Direitos reservados.
Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba - FETAG-PB
Av. Rodrigues de Aquino, 722 - Jaguaribe - João Pessoa / PB - Tel.: 83 - 3241-1192