07.03.2017 - 12:22:22
Trabalhadoras Rurais lutam contra a Reforma da Previdência em atos em Alagoa Nova e JP

No dia em que se comemora o Dia Internacional das Mulheres, a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado da Paraíba (Fetag-PB), e os Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais  (STTRs) paraibanos, se somam as agricultoras do Polo da Borborema e marcham contra a retirada de direitos, sobretudo das mulheres Trabalhadoras Rurais, proposta pelo Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 287, que trata da Reforma da Previdência Social. A “VIII Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia” acontecerá nesta quarta-feira (8), em Alagoa Nova.

Neste dia, as mulheres marcharão ainda pelo fim da “cultura do estupro”, termo usado para apontar comportamentos que silenciam ou relativizam a violência sexual contra a mulher, atribuindo à vítima a culpa pelos crimes. A Fetag-PB será representada por sua 1ª secretária de Mulheres, Maria de Lourdes Costa, pela 1ª secretária da Terceira Idade, Maria Adelino da Silva; e as conselheiras de Mulheres, Maria Ednalva e Wilma Farias. Também participarão do evento uma comitiva de mulheres dos STTRs de vários municípios vizinhos.

Tendo como lema a célebre frase da líder sindical paraibana Margarida Maria Alves, “É melhor morrer na luta do que morrer de fome” – as Trabalhadoras Rurais, Agricultoras Familiares lutam pelo que vem sendo considerado um dos maiores retrocessos contra os direitos das mulheres do Campo, se aprovada a PEC 287, que exige mais 10 anos de trabalho da mulher Trabalhadora Rural para conquistarem sua aposentadoria. Pelo sistema vigente, elas se aposentam com 55 anos.

“Essa é uma das maiores violências que podem ser cometidas contra as mulheres, principalmente contra as Trabalhadoras Rurais, que começam a trabalhar, na sua grande maioria, ainda crianças, sob o sol forte, neste clima quente que nós temos, e ainda lutando para sobreviver com a seca. A mulher do Campo cuida do roçado dos pais e depois para o marido e os filhos, cuida da casa, da família, de parentes idosos, e ainda dos bichos, como: galinhas, porcos, etc”, afirma a secretária de Mulheres da Fetag-PB, Maria de Lourdes Costa.

A expectativa do Polo da Borborema e a AS-PTA, organizadores do evento, é reunir cerca de 5 mil agricultoras e trabalhadoras rurais. As participantes se concentrarão a partir das 8h, no Parque Manoel Pereira, no Bairro Mário Lima. No palco montado no local, haverá animação e acolhida às caravanas, além da apresentação de uma peça “Zefinha não tem culpa!”, encenada pelo Grupo de Teatro Amador do Polo da Borborema. Por volta das 10h, a marcha deve ganhar as ruas da cidade com destino à Praça João Pessoa, próximo à Igreja Matriz de Santa Ana, no Centro.

A cirandeira pernambucana Lia de Itamaracá fará o show de encerramento do evento e a animação antes da caminhada. Na Praça João Pessoa, haverá a tradicional feira com a exposição e comercialização de produtos e experiências de mulheres agricultoras, com espaço para hortaliças, frutas, sementes, mel, artesanato e uma variedade de produtos da agricultura familiar.

Em João Pessoa - Este será o primeiro Dia Internacional da Mulher pós golpe no Brasil e a “Parada das Mulheres” pretende chamar a atenção da sociedade para várias demandas políticas pautadas mundialmente pelas mulheres. O ato acontecerá a partir das 7h, no Ponto de Cem Réis, em João Pessoa.

A “Parada de Mulheres” é parte de uma convocatória global para uma Greve Internacional de Mulheres, chamada por ativistas de todo o mundo, em especial pelas mulheres argentinas e pelas norte-americanas Nancy Fraser e Angela Davis. O movimento ganhou adesão de vários lugares do globo e grandes atos já estão confirmados em cerca de 40 países. Aqui no Brasil, mulheres de várias cidades têm se reunido em assembleias e se preparado para a Greve neste 8 de março.

Na ocasião, a Fetag-PB será representada por sua 2ª secretária de Mulheres, Ivanete Leandro, a secretária de Jovens, Iara Enéas, e as diretoras Ozanira Cunha (Riachão), Valdirene (Rio Tinto), Raminha (Mamanguape), e Maria de Jesus (Itapororoca).

A Greve Internacional de Mulheres tem como proposta central a ideia de convocar todas as mulheres do globo para paralisarem suas atividades onde estiverem, seja nos postos de trabalho, nas fábricas, ou mesmo em casa (interrompendo o trabalho doméstico).

O movimento convoca as mulheres a aderirem ao movimento da maneira que puderem, seja através da paralisação, do engajamento na participação nos atos, do ativismo nas redes sociais ou mesmo da utilização de roupas e adereços simbólicos, especialmente de roupas de cor roxa ou lilás, que são as cores emblemáticas do movimento.

Além do ato na Capital, mulheres de outras cidades paraibanas também integrarão a Parada de Mulheres em suas regiões. Estão confirmados atos nas cidades de Alagoa Nova, Cajazeiras, Guarabira, Araçagi e Piancó, Pombal e Picuí.


Voltar | Início | Imprimir

Relacionadas:
Rurais em defesa da Previdência Social
Secretaria da Contag faz balanço sobre votação da MP 871 em Comissão Mista
Fetag participa de várias mobilizações pela PB contra a MP 871 e PEC da Reforma da Previdência
Fetag, Sindicatos e Contag reúnem mais de 5 mil em grande ato contra a Reforma da Previdência
Mais de 5 mil Trabalhadores (as) Rurais participarão de Audiência Pública na ALPB, nesta sexta (15)
 
 


Últimas Notícias

13.06.2019
Rurais em defesa da Previdência Social
29.05.2019
Rurais em defesa da Previdência Social
22.05.2019
Contag e Federações intensificam diálogo na Câmara sobre a MP 871 e PEC 06
20.05.2019
Fetag-PB realizará Oficinas de Base para o enfrentamento do atual cenário nacional
08.05.2019
Secretaria da Contag faz balanço sobre votação da MP 871 em Comissão Mista

 

2010 - 2019 - Direitos reservados.
Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba - FETAG-PB
Av. Rodrigues de Aquino, 722 - Jaguaribe - João Pessoa / PB - Tel.: 83 - 3241-1192